23 de dezembro de 2012

UM ESPÍRITO QUE EXISTE

            Essa página da secção "Humor com a Banda" que faço com o Omar Viñole nas cores para revista japonesa Alternativa, foi publicada na edição do Natal de 2011 e confesso que quando a editoria me solicitou a página com o tema natalino, tive a primeira iniciativa em fazer algo ironizando o  Papai Noel e tudo mais que o espírito da data em si traz. Aquelas coisas mesmo de sarcasmo, crítica, deboche, que todo cartunista/humorista à princípio ou o que dita as regras deve ter em seus trabalhos, porém, independente se estou certo ou errado, estou encaretando, ou buscando outras soluções, melhor dizendo, para a vida e para renovar os ciclos de existência dentro do que meu trabalho pode ajudar a fazer. Não é algo completo e definido, é apenas coisas que quero trazer.
            Então, a página saiu assim, ideia simples, quase como um cartão ou comercial de Natal, talvez por eu estar encaretando dentro do que o mundo por aí mostra, talvez porque eu tenha um filho pequeno e aproveito cada momento de sua vida comigo, cada sorrizinho que ele dá, cada satisfação absoluta em sua existência. Não sei. Mas sei que é bom e é o bom que eu quero lhes dar.

            BOM NATAL PRA TODOS!


17 de dezembro de 2012

PAPO MAMÃO#4 : CONVERSANDO COM O PAI DO LOGAN

            Depois de um razoável atraso, finalmente uma nova edição do Papo Mamão. Desta vez converso com o desenhista Flavio Soares falando sobre sua série de tirinhas "A vida com Logan" baseada na sua vida cotidiana com seu filho, o próprio Logan do título e mais toda família. 
            Esse nosso bate-papo, além de deixar mais a par os fãs da série, Flávio contou um pouco do universo das crianças com síndrome de down,no caso seu filho Logan. 
            Uma conversa sincera, antes de tudo, de um cara que aprende a cada dia com a vida e com tudo que esse seu filho tem para lhe ensinar.
            Confiram.
           
                 
Para conhecerem melhor sobre as tirinhas "A vida com Logan", além de terem melhor conhecimento sobre a síndrome de down, confiram aqui

13 de dezembro de 2012

DUAS PRA ACABAR O MUNDO

            Segundo alguns fatalistas apocalípticos, o mundo vai acabar na próxima semana, mais especificamente na data de 21/12.  Hollywood já nos mostrou isso no filme 2012 há algum tempo atrás. Enfim, caríssimos visitantes, se você acredita nisso ou não, na verdade, não importa, mando nessa postagem duas tirinhas da série Banda Mamão (isso mesmo, o título é em homenagem a esse blog e meu jeito mamão de ser) que produzi durante algum tempo onde trato desse assunto, digamos, tão fatalista.
Essa última deixo a música que me baseei para dar clima na leitura e até mesmo no dia do juízo final, vá lá...

10 de dezembro de 2012

ESCONDENDO VITÓRIAS

            Na matéria da secção de esportes da edição número 297 da revista Alternativa, o jornalista Osny Arashiro comenta sobre a curiosa história que envolve a Fifa e a seleção brasileira de futsal: o time é héptacampeão, nos anos de 1982, 1985, 1989, 1992, 1996, 2008 e finalmente, 2012, mas como a Fifa só assumiu o Futsal em 1989, não reconhece os dois anos anteriores em que as vitórias foram conseguidas quando a seleção ainda estava sobre a coordenação da antiga entidade Fifusa, ou seja, na bandeira e na camisa da seleção, só constam cinco estrelas ao invés de sete. Óbvio, que se trata de coisas de políticas do esporte e nessas, alguém sempre acaba perdendo.Cabe a cada um julgar essa situação sem propósito. 
            A situação dos esparadrapos é menção a um jogo onde a bandeira da seleção de Futsal teve que esconder as duas estrelas não assumidas pela Fifa.
            Explico a página de humor da revista japonesa Alternativa dessa referida edição, para os que desconheciam esse fato, entenderem do que se trata o tema da página.
Publicado originalmente na revista Alternativa nº 297
Editora Nipakku - Japão.

3 de dezembro de 2012

MUSA TRANQUILA

Tranquilamente calma em sua beleza, sensualidade, gostosura, sabendo o que é e o que quer e dominando sem dominar. Coisa de musa. Direto da observação do caderno de sketch.

28 de novembro de 2012

22 de novembro de 2012

UM MONTE DE CARAS FALANDO SOBRE QUADRINHOS

            Uma rapaziada da Faculdade São Judas produziu um documentário de aproximadamente 30 minutos sobre as Histórias em Quadrinhos no Brasil. Trabalho bem bacana que teve a direção do aluno André Souza e foi exibido no programa Espaço Comunicação da TV São Judas. No documentário, há depoimentos de muita gente que produz, edita e escreve sobre quadrinhos, como Maurício de Souza, Gualberto Costa, Renato Lebeau, Mário Cau, Daniel Esteves, Alex Mir, Waldomiro Vergueiro, Marcos Venceslau e eu.
            Bem feito, competente, com resultado de primeira. Confiram.
              

19 de novembro de 2012

APRENDENDO A LIDAR COM CERTAS COISAS

          A página de humor da semana da revista Alternativa trazia como tema de capa matéria sobre brasileiros e dekasseguis que lutaram e lutam contra o câncer. Tema delicado para se abordar numa página de quadrinhos de humor, mas sempre dá para conciliar as coisas sem ferir sentimentos e situações vividas. 
 Publicada originalmente na revista Alternativa#296
 Editora Nipakku - Japão       

15 de novembro de 2012

O MERCENÁRIO APOCALÍPTICO

             Peryc, o mercenário , herói criado pelo editor independente, jornalista e roteirista (além de muitas outras coisas que não me recordo, desculpe, meu amigo) Denilson Reis lá de Alvorada, Rio Grande do Sul. Denilson é criador e editor de um dos mais antigos fanzines, o Tchê, ainda em atividade, o qual tive a honra de colaborar durante muito tempo e ainda hoje colaboro vez ou outra.
             Peryc vive suas aventuras num mundo apocalíptico, pós catástrofe nuclear, dominado pela crueldade, onde tenta sobreviver. E aqui, um versão minha do mercenário e uma homagenagem a esse velho amigo de longos anos, dos bons tempos dos fanzines xerocados.  
                    Para conhecer mais do personagem é só conferir aqui        

12 de novembro de 2012

FALA, LAUDO!

          O artista plástico Roberval Sales criou recentemente seu site Visual Artv que procura abordar várias atividades artísticas, entre elas, os quadrinhos, e há algum tempo atrás gravei numa bela tarde de sol uma entrevista para seu site e que trago agora para vocês.
         Para conhecerem melhor o Visual Artv é acessar aqui

5 de novembro de 2012

UM ÍNDIO AMARELO

            As páginas da secção "Humor com a Banda" feita para revista japonesa Alternativa, é criada em cima das matérias de capa, no caso desta, Toshimi Murata, citado no texto, é um japonês que vive na Amazônia, entre os índios, promovendo troca de culturas entre as duas raças.
Publicada originalmente na revista Alternativa#295
Editora Nipakku - Japão

29 de outubro de 2012

AH, AS CRIANÇAS ....

Publicado originalmente na revista Alternativa#294
Editora Nipakku - Japão

23 de outubro de 2012

GRANDE ENCONTRO DE QUADRINHOS EM CURITIBA

            Essa semana, Curitiba irá sediar pela segunda vez (já que o primeiro foi o número zero, vale informar), o que já se tornou um dos grandes evento dos Quadrinhos Nacionais, o Gibicon, de 25 a 28 de outubro. Diversos profissionais da área (desenhistas, roteiristas, editores, etc.) estarão presentes, palestrando, autografando, participando de mesas redondas, fazendo desenhos e dando oficinas. Eu estarei presente à partir de sexta, dia 26 em várias atividades:
            -Dia 26, às 15:50h. participo de uma mesa redonda juntamente com os cartunistas Spacca e Bira Dantas, falando sobre adaptações literárias. A mesa será mediada pelo Afonso Andrade, curador do FIQ de Belo Horizonte.

            -Dia 27, às 11h, ministro uma oficina sobre criação de hq. À tarde, às  15:30h participo de sessão de autógrafos dos meus livros Yeshuah I e II, Histórias do Clube da Esquina, Café Espacial#11 e Auto da barca do Inferno.

             O evento trará também convidados internacionais de primeiro time como Salvador Sanz, Eduardo Risso e Liberatore ( co-criador do clássico Ranxerox e autor de um dos cartazes do evento).
             Um grande e imperdível evento! Então, quem puder, apareça, pois vai rolar muita coisa.
              Maiores informações sobre horários, palestras, oficinais, autógrafos
e tudo mais, é conferir no site do evento
               

18 de outubro de 2012

SYLVIA KRISTEL E UM SAFADO PRECOCE


              Hoje, dia 18 de outubro, a imprensa do mundo todo noticiou a morte da atriz Sylvia Kristel, que ficou famosa por dar vida à personagem Emmanuelle nas telas do cinema, isso lá nos idos anos 70. A turma de minha geração com certeza sabe quem é e a rapaziada mais nova, ligada em cultura, com certeza deve saber, mesmo que alguma coisa.
           Kristel foi à musa de toda uma geração de meninos, rapazes e homens, e eu estou nessa, claro, todos embalados mais por insinuações, olhares, uma coxa ali, um peito aqui, do que realmente algo explícito. Vale lembrar que estrelas como Sylvia Kristel, por exemplo, ganhavam na sensualidade e também no charme, diferente e muito das nossas modernas popozuadas que às vezes me fazem desanimar de apreciar pelo excesso, excesso mesmo, esse é o termo. Então, ao saber de seu falecimento hoje, mais que lastimar, enfim, morreu jovem, 60 anos, lembrei o quanto sua figura, seu corpo, seu charme, e seus filmes principalmente, me marcaram naquela época. O cartaz de seu primeiro Emmanuelle, lembro, mexia profundamente com minha libido de menino ansioso pelas coisas, uma imagem sensual, forte e principalmente estilosa.
          Mas enfim, eram os anos 70 e embora no Brasil, vivêssemos a plena ditadura, alguma coisa do cinema erótico “era” permitido, pois até então, acredito eu, o sexo não significava tanta ameaça ao regime autoritário, provando o quão estúpidos e ignorantes eram os senhores generais da época, mas isso é outra história. Então me lembro bem da infinidade de filmes nacionais, as deliciosas pornochanchadas e das revistas masculinas “Peteca”, “Status”, “Close” e por aí vai. Só peito, uma ou outra bunda e nada de pelos pubianos como disse, e a alegria era geral, mesmo assim.
          Ao contrário de muitos pré-adolescentes, 12/13 anos que cresceram lendo gibis da Disney, Maurício de Souza e a turma da Mônica, coisas desse tipo, por algum mistério da natureza, se é que a natureza tem algo a ver com isso, desde muito pequeno, o impulso sexual se tornou latente em mim, não nego isso e não sei como explicar, então minha leitura de quadrinhos basicamente era muito terror nacional onde tinha nos desenhos do mestre Nico Rosso, fêmeas maravilhosamente desenhadas esbanjando sexo com pouca ou quase nenhuma roupa. Sempre tive a percepção e ainda hoje a tenho que Nico Rosso realmente gostava de desenhar essas delícias, não que os outros artistas não gostassem, mas nele, era algo, pelo menos para mim, latente. Lia outros gibis, super-heróis, por exemplo, mas era outra coisa, revistas como “Seleções Terrir”, Drácula e Naiara do Nico Rosso, me tiravam o fôlego e incitavam a imaginação e claro, lá ia eu querer copiar o traço do mestre.
           Como disse, a coisa do sexo veio cedo comigo...
           Nasci em São Vicente, litoral de São Paulo e como já contei em inúmeras entrevistas, bate-papos, desenho desde sempre, autodidata, como centenas de desenhistas, fã de quadrinhos, fazendo, ou melhor, tentando rabiscar algo que poderia então se chamar quadrinhos, e como toda criança que rabisca suas hq’s, ansiosa de ver um material seu publicado em algum veículo, jornal ou revista, de grande tiragem, de grande repercussão, que acabei enviando para o jornal “A Tribuna” de Santos para um caderno espacial chamado “A Tribuninha”, que pelo nome dá para perceber que era voltado para o público infantil, uma hq de duas páginas “Inês, ano 2.010 DC”, uma hq “futurista” de ficção-científica, passada no distante ainda ano de 2010, o ano era provavelmente 1974/1975, tinha lá meus 10,11 anos. Essa hq que enviei era literalmente copiada da personagem “Barbarella” do Jean Claude Forrest, pois se não me falha a memória, o quadrinho dela, a única versão nacional publicada até hoje e famosa por ter sido traduzida pela Jô Soares havia caído em minhas mãos de menino havido por seios, coxas, corpos sensuais, cabelos longos e loiros (sempre fui atraído pelo gênero). Quando vi o álbum, a coisa caiu com uma bomba: “Vou criar a minha Barbarella!!”.
          Ao mesmo aquele moleque apreciador das belas formas femininas, ainda não entendia muito bem sobre o que se fazer com uma mulher na cama e muito provavelmente fui descobrir algum tempinho depois ainda o milagre do sexo solitário, então a coisa caminhava mesmo no campo da pura contemplação. Enfim, a pseudo-história em quadrinhos feita com nanquim e pena mosquitinho, copiada da clássica heroína francesa, inclusive na famosa sequencia onde ela transa com um robô, foi enviada para esse suplemento infantil. Semanas se passaram, aumentando a cada dia a ansiedade daquele menino desejoso de ver suas páginas impressas naquele jornal “famoso”, de grande tiragem, então, finalmente, para minha absoluta surpresa e frustração, lá pela quinta ou sexta semana, no editorial do suplemento havia uma nota do editor que se intitulava “Caro L.F.J.” e daí adiante discorria um breve texto onde simplesmente acaba com minha pessoa, pois julgava se tratar eu, um adolescente, de 18/20 anos, querendo publicar seu trabalho em qualquer lugar que fosse, claro, ele estava correto, só errou na faixa etária, mas sua bronca era pelo conteúdo erótico adulto que eu enviara para um suplemento infantil, óbvio que o senhor editor não imaginaria se tratar de um menino de 10/11 anos, jamais. Anos 70 e a mentalidade dos “mais velhos” era outra, amigos. Claro que desenhava bem, mas para um menino de dez, onze anos com aptidão para desenho, que fique entendido. Esse mal entendido gerou uma tremenda bronca, tremenda, por parte do meu pai, seus olhos faiscando de raiva é algo que demorei muito para esquecer, e que só depois de muitas terapias pude deixar em seu devido lugar no passado.
           É óbvio que minha fissura pela figura feminina só foi aumentando, haviam os quadrinhos de terror e suas fêmeas deliciosamente fatais, revistas masculinas, que conseguia comprar em bancas de amigos (afinal, pra que servem os amigos?!) e as pornochanchadas (sim, também tive amigos que trabalham em cinemas). Lembro-me até hoje dos primeiros seios que vi em grande tela: Sandra Barsotti. Um momento raro, mágico, dois peitos bonitos, durinhos, daquela musa loira, dos distantes anos 70. Contemplação pura, acreditem. Êxtase puro. Nos meus quadrinhos feitos em casa, com a delicia do prazer que só um jovem sem preocupações pode ter, muitas outras coisas dentro dessa linha sensual fiz e muitas ainda tenho guardadas em arquivos.
          Enfim, aí veio a adolescência e com ela tudo que é de direito para um jovem nessa fase, descobertas, frustrações, alegrias, desapontamentos, tudo. E pensar então na morte dessa musa do cinema erótico na data de hoje, por um breve momento trouxe-me a lembrança dela, de sua relevância e de outras tantas musas daquele período.
           Por fim, claro que quando já nos anos 2.000 tive a oportunidade de gerar, parir, criar uma certa musa dos quadrinhos eróticos nacionais, a Tianinha, nada mais justo que render homenagem a esses ícones dos anos 70 que muito me marcaram, dando um certo tom de pornochanchada em suas histórias. Quem leu pode comprovar.
            Então, é isso, querida minha e de tantos, senhora Sylvia Kristel, obrigado.

           

16 de outubro de 2012

PAPO DE LÍNGUA

                                        Publicada originalmente na revista Alternativa#293
                                                            Editora Nipakku/Japão
   

12 de outubro de 2012

DIA DAS CRIANÇAS

                         Publicado originalmente na revista Alternativa#267 - Editora Nipakku/Japão

8 de outubro de 2012

PROVANDO UM CAFÉ ESPACIAL

            Esta semana estarei em Marília, interior de São Paulo para alguns eventos ligados ao aniversário de 5 anos da revista Café Espacial: o lançamento da edição 11, a abertura de uma exposição com ilustrações de vários colaboradores da revista, entre eles eu, e um workshop onde irei trabalhar com os presentes, aspectos da criação de personagens e roteiros para uma história em quadrinhos, baseado no material que venho produzindo para a revista ao longo destes anos. 
            Serginho Chaves, diretor e criador da Café Espacial, juntamente com a jornalista Lidia Basoli e Eduardo Duparah, todos da cidade de Marília, produzem um dos melhores trabalhos do cenário independente, e por isso vem só colhendo frutos ao longo destes anos, como vários prêmios HQ Mix, e críticas sempre positivas sobre suas edições e como sempre costumo dizer, é uma honra e um prazer poder participar dessa revista, junto com esses queridos amigos... além do que, sou um tremendo apreciador de café.

Programação:

Às 10h – Abertura da exposição internacional Prove um gole de Café Espacial

Às 14h30 - Workshop com o ilustrador Laudo Ferreira Jr.: O processo de criação

Local: Oficina Cultural Tarsila do Amaral (piso superior da Biblioteca Municipal)

Às 17h30 - Revista Café Espacial nº11: lançamento e sessão de autógrafos com os autores
Local: Oficina Cultural Tarsila do Amaral (piso superior da Biblioteca Municipal)


Avenida Sampaio Vidal, 245, piso superior.

Marília – SP – CEP 17500-020
Tel.: (14) 3453 5660

2 de outubro de 2012

PAPO MAMÃO#3 - ANDRÉ DINIZ FALA SOBRE "MWINDO"

            Neste Papo Mamão, conversei com o André Diniz, tremendo roteirista e desenhista que falou sobre seu recente trabalho "Mwindo", lançado pelo Editora Record.
            Confere aí.

                            
                E para aqueles que quiserem conferir mais trabalhos do André é conferir aqui 

1 de outubro de 2012

O MUNDO FICOU PEQUENO... INCLUSIVE PARA CASAR

                                          Publicada originalmente na revista Alternativa#292
                                                            Editora Nipakku - Japão

25 de setembro de 2012

BATE-PAPO COM ANDRÉ DINIZ

            Nessa semana, a última de setembro, acontece mais um Dossiê HQ, aquele bom bate-papo com criadores de quadrinhos, e desta vez, o querido amigo e talentoso André Diniz é o convidado, falando sobre seu último trabalho, recentemente lançado Mwindo. E no final, acontecerá uma sessão de autógrafos.
         O ponto de encontro será na loja Gibiteria. Apareçam!
Gibiteria - Praça Benedito Calixto, 158 - 1º andar
            São Paulo - SP
            (011) 3167-4838

18 de setembro de 2012

SALADA BRASILEIRA

                                    Publicada originalmente na revista Alternativa#291
                                                         Editora Nipakku - Japão

14 de setembro de 2012

HUMOR PRA JAPONÊS RIR

            A revista japonesa "Alternativa" é produzida para dekasseguis (japoneses brasileiros que residem e trabalham no Japão) e vendida em todo país. A publicação traça quinzenalmente um grande panorama social, político, cultural entre os dois países e por isso, aliado à competência, talento e carinho da equipe da redação, "Alternativa" tornou-se com o passar dos anos uma publicação bastante popular. E nessa caminhada tenho a honra de trabalhar com eles há muitos anos numa página de humor quinzenal, como a publicação, chamada Humor com a Banda, nome que faz uma alusão ao nome do Estúdio Banda Desenhada, meu e do Omar Viñole, que trabalha nas cores destas páginas.
            Ao longo de todos esses anos que colaboramos com a revista, muita coisa mudou no perfil editorial e nessa fomos nos adequando e eu, particularmente, fui me adaptando na forma de criar os textos  para essa secção, pois a linha de humor do japonês difere do brasileiro, existem algumas gags de tirinhas nacionais, por exemplo, que não seriam entendidas por lá. Basicamente a página que eu crio e desenho e o Omar coloriza é feita em cima da matéria de capa, o que então, por si só, rende a cada número uma situação, uma história diferente. Para o leitor brasileiro, às vezes a piada, a situação, o humor pode soar simples, despretensioso e sem  "pegadas", mas é assim que o leitor oriental, dekassegui ou japonês vai assimilar algumas questões críticas, sociais ou tragédias, como a terrível tragédia do Tsunami.
            À partir desta postagem, trago para vocês conhecerem esse material que eu e o Omar produzimos e que nunca chegou a sair em publicação impressa no Brasil. Anteriormente, eu vinha trazendo no Blog Mamão, o qual recentemente cancelei, porém quem quiser conferir pode ver por aqui e à partir de agora acompanhar aqui no Banda Mamão.

10 de setembro de 2012

BOA CONVERSA EM BOA COMPANHIA

             No início deste ano, participei do programa HQ & Cia. do jornalista Cesar Freitas que vai ao ar pelo Canal All TV, via internet, juntamente estava o cartunista Fernando dos Santos, criador dos personagens Os estapafúrdios ursinhos coloridos. No programa, onde sempre rola um bom e descontraído papo, falei dos meus últimos trabalhos lançados no ano passado, Histórias do Clube da Esquina e a adaptação de Auto da barca do Inferno, além de Yeshuah e até da saudosa Tianinha. Confiram.


Laudo.e.Fernando.Souza from Cesar Freitas on Vimeo.

5 de setembro de 2012

PELAS MÃOS DE UM MESTRE

            Ter amigos talentosos é constantemente ser brindado com coisas bonitas, legais, bem feitas, geniais, enfim,  coisas que além do carinho pela amizade, nos deixam  constantemente  felizes em ser agraciados, por nos fazer, às vezes, presenciar o    nascimento de um belo trabalho. O Alexandre Santos, grande, grande figura, tremendo ilustrador, escultor, é uma dessas figuras ímpares (olha o pinta na foto ao lado com seu filho Coringa bem moldadinho).   Professor há longa data da Escola Panamericana de artes,    produz intensamente, sempre com a cabeça fervilhando de coisas,ilustrando livros, esculturas, caricaturas,   muita coisa. Intenso, como ele mesmo se define.
            E foi dele que ganhei dias atrás uma  caricatura, feita durante uma ação ao vivo que fizemos numa festa de casamento. Linda caricatura... embora, é óbvio, que eu sou mais bonito que isso...
            Para os que quiserem conhecer mais trabalhos desse grande fera é só dar um pulo no site do cara

28 de agosto de 2012

PAPO MAMÃO#2 - WILL E O SEU 20.000 LÉGUAS SUBMARINAS

            Neste novo Papo Mamão, eu e o Omar conversamos com o  compadre e grande desenhista Will, que recentemente lançou pela Editora Nemo, a adaptação em quadrinhos do clássico de Júlio Verne 20.000 Léguas submarinas, feita em parceria com o roteirista João Marcos.
            Apreciem o bate papo sem moderação.
      


            Para conhecerem mais trabalhos do Will, acessem seu blog
            
            http://sideralman.blogspot.com.br/

           E o site Petisco, onde tem hq's do Will, está com um projeto de álbum em quadrinhos no Catarse, confiram e colaborem com esse projeto super bacana.
           http://catarse.me/pt/projects/881-album-de-coletanea-do-petisco

21 de agosto de 2012

INTENÇÕES PRAZEIROSAS

            Coisa de imaginação que na verdade não chegou a seu êxtase quando desenhado, mas, claro, ficou o registro da intenção: mediano.


14 de agosto de 2012

UM ELEFANTE DE COSTAS

            Segundo mitos populares o elefante de costas é sinal de boa sorte, fortuna, prosperidade, bons fluídos, coisas desse tipo. Isso remonta ao deus hindu Ganesha, corpo humano e cabeça de elefante que tem o poder de abrir caminhos e trazer fortunas. Aqui no meu estúdio tenho um, lindo, que ganhei de presente de minha esposa. Confesso que me incomoda vê-lo de costas para mim ou para qualquer um que passe por aqui, por isso, a minha estatueta de elefante está de frente. Bem, quanto a sorte, fortuna, prosperidade e tudo mais que ele simbolize, para mim, que venha de que lado for e que ele, o elefante me veja de frente e, de vez em quando aprecie eu sorrir para ele.
            Esse desenho acima, foi um dos muitos estudos que fiz para um quadro encomendado por um casal aqui de São Paulo há uns anos atrás, eles queriam a imagem na parede da casa logo na entrada, recebendo qualquer pessoa que por lá chegasse.
            E assim fiz e assim foi feito. 
            Sorte para eles, para mim e para vocês todos.

          

7 de agosto de 2012

METAMORFOSE

             Dias atrás, sonhei que estava me transformando em um dinossauro... coisa estranha, não? Mas acredito que seria uma metamorfose mais interessante que uma barata.

24 de julho de 2012

PAPO MAMÃO#1 - COELHO NERO

            Estreando na postagem de hoje, o Papo Mamão. O nome já diz tudo, eu acho... trata-se de bate-papos entre eu e o Omar Viñole, parceiro de longuíssima data nos quadrinhos, falando sobre nossos trabalhos, nossos quadrinhos, feitos em parceria ou individuais. Mensalmente traremos para vocês, que por aqui aparecem, essa conversa de final do dia aqui do Estúdio Banda Desenhada . 
          Pra começar, eu e o Omar, conversamos sobre sua criação, a figuraça do Coelho Nero.
                             
                              
                                 
Para os que quiserem melhor conhecer esse coelho com a mira crítica, sempre afiada,
confira http://coelhonero.blogspot.com.br/

17 de julho de 2012

VAMOS SABOREAR UM BOM CAFEZINHO?


            Sergio Chaves é um rapaz batuta, danado de bom, que conheço há muitos anos, muitos e é óbvio que não me recordo em que ano aconteceu isso e na realidade, passado tanto tempo assim, já não importa mais. Morando em Vera Cruz, cidade do interior, colada à Marília, quando pude conhecê-lo pessoalmente por ocasião de sua vinda até São Paulo para receber um troféu Ângelo Agostini pelo seu então fanzine “Justiça Eterna”, é que me surpreendi ao ver aquele rapaz magrinho, pequeninho e com uma aura imensa de talento, disposição, vocação para criar, produzir coisas muito boas. E foi dentro dessa imensa aura que vi, quase de perto, nascer a revista “Café Espacial”, que na ocasião de seu lançamento surpreendeu a mim e a todos pela imensa qualidade do material nela publicado e principalmente pela cara dessa revista, misturando quadrinhos, com fotografia, com ensaios literários, dicas de música, literatura, teatro e muitos mais: uma revista de cultura. A surpresa geral veio pela qualidade da publicação, assim como por demonstrar muito claramente que Sergio Chaves sabia perfeitamente bem o que queria.
           Durante o tempo que se seguiu a revista só veio crescendo e agregando mais gente bacana no corpo editorial, como Lidia Basoli e Eduardo Duparah, além de uma infinidade de colaboradores, o qual tenho a honra de ser um deles e desde o princípio.
           “Café Espacial” é uma publicação que não traz equívoco, apesar de saber que ainda está em fase de expansão, de crescimento, de aprendizado, mas para nós leitores, sempre há a certeza de que o sabor que esse café nos traz sempre é bom.
            No momento, a rapaziada da revista colocou o projeto da edição 11 no site Catarse, para levar dinheiro para publicação. No Catarse você colabora com o quanto puder e trona-se patrocinador/parceiro do projeto. Algo muito bacana que, dentro da área dos quadrinhos já rendeu projetos premiados e de excelente qualidade como o “Achados e perdidos”.
            Participe dessa campanha da Café Espacial, torne-se parceiro e depois é só aguardar o lançamento dessa nova edição e saborear com o gostinho todo especial e sempre muito bom.
                     

Para você entender melhor o projeto no Catarse  http://catarse.me/pt/projects/795-revista-cafe-espacial-n-11#

10 de julho de 2012

CONVERSA DE GENTE GRANDE

           Essa semana acontece mais um Dossiê HQ na Gibiteria. Bem, local e eventos, já dispensam maiores comentários, explicações,etc., frequentadores aqui do Banda Mamão já sabem muitíssimo bem o que é Dossiê HQ e o lugar saborosamente delicioso que é a Gibiteria.
           Dando continuidade aos encontros para bate-papos sobre quadrinhos e seus caminhos de criação, o evento essa semana reúne duas grande figuras dos quadrinhos: o mestre Marcatti, grande cartunista dos quadrinhos de humor negrérrimo e escatológico e o jornalista Paulo Ramos, numa boa conversa falando a longa estrada do Marcatti dentro do mundo dos quadrinhos, das publicações independentes e do seu humor personalíssimo.
           Imperdível!!!!
           Apareçam.


Gibiteria: Praça Benedito Calixto, 158 - 1º andar
                  São Paulo               (011) 3167-4838      
                

5 de julho de 2012

DAVID ESCARLATE, O HERÓI DO ESPAÇO


           Quando criei a série de tirinhas Banda Mamão há uns quatro anos atrás, se não me falhe a memória, tinha como ideia central exercitar o ato de trabalhar em cima de ideias rápidas, raciocínios passageiros ou até mesmo constantes sobre os mais variados assuntos possíveis, coisas que valessem mais contar no formato de tiras, leitura rápida, do que propriamente numa história em quadrinhos, mesmo que fosse curta.
           Nesse tempo de produção das tirinhas, uma infinidade de ideias pulou pra fora da cabeça, como é natural, algumas não chegaram a ser desenhadas, mas a grande maioria sim, e teve ainda o caso de uma ideia para uma sequência de tiras que acabou se transformando em uma hq que foi publicada na edição 11 da revista Café Espacial. Nesse caso específico a ideia carecia extrapolar os limites das tiras. No embalo de produção, muitos personagens para as tirinhas foram criados: O senhor Kublica e as musas, “Eróis”, O Homem-Positivo, Diarianas...
           Mas um dos personagens  mais legais foi  David Escarlate, herói intergaláctico. Óbvia sátira-homenagem aos clássicos filmes de ficção-científica dos anos 50 e 60, com suas maravilhosas espaçonaves e seus heróis sempre intrépidos, justos e altruístas. O próprio nome do herói veio de um personagem que criei na minha infância copiado do Flash Gordon, do qual fui e sou ainda fã. A premissa de David Escarlate, herói espacial era que não haveria um roteiro a ser seguido, nem muito menos uma base, a história correria solta, sendo criada a partir da produção de cada tira, sujeita às constantes mudanças. Óbvio, uma ideia já praticada por muitos e que para mim seria um exercício de criação e muita diversão ao mesmo tempo.
         Quem acompanha a série de tirinhas do herói sabe o turbilhão de coisas que ele já viveu: David é convocado para ir até um planeta de amazonas para salvar um astronauta que foi feito prisioneiro lá, mas para isso teve que sofrer uma mudança completa de sexo e, por se tratar de ficção-científica, a coisa é rápida graças à tecnologia futurística-retrô do universo de David Escarlate. No planeta, David, agora uma garota, é feito prisioneiro pelas amazonas, junto com sua ex-namorada que viajara com ele nessa missão. David consegue escapar, mas para chegar até sua nave para tentar resgatar a ex-namorada e o astronauta, ele tem que passar por uma imensa floresta, no meio do caminho, David encontra um portal dimensional e “acha” que com isso conseguirá encurtar o caminho e chegar até sua espaçonave, ao atravessar o portal, volta no tempo, no planeta Terra nos anos 50 onde é preso como um louco.
           Bem, isso que contei para vocês é só uma parte inicial das aventuras vividas por esse herói, digamos, multifacetado e que agora está com sua aventura finalmente chegando ao final. Um tremendo exercício de criação para mim, como disse, que acabou conquistando uma boa parcela de fãs que não estão gostando muito do fato das aventuras do intrépido herói espacial estar chegando ao seu final, mas, tudo acaba uma hora.
           As tirinhas do David Escarlate e mais as outras estão num blog que criei exclusivamente para essas tiras que, na falta de um nome melhor batizei com o nome deste meu antigo blog aqui.

           Confiram lá!

26 de junho de 2012

TRÊS CARAS BATUTAS FALANDO DE QUADRINHOS

           No próximo dia 29 de junho acontece mais uma edição do Dossiê HQ na loja Gibiteria, aqui em São Paulo. Espaço muitíssimo agradável e que sempre acolhe a todos muito bem, graças ao carinho dos proprietários Octávio e Aninha, pai e filha, ambos, claro, apaixonados pelos quadrinhos.
           O Dossiê HQ é um evento que propõe trazer artistas-autores de quadrinhos para papearem sobre sua produção: caminhos seguidos para se fazer hq's,  por que de determinados estilos e o que mais valer saber. Para essa edição foram convidados os desenhistas Sam Hart, Flávio Luiz  e o roteirista e editor da versão nacional da revista Mad, Raphael Fernandes. O papo promete muito e será mediado pelo Will, tremendo desenhista, criador do personagem Sideralman e uma série de outros quadrinhos que rolam por aí.
          Apareçam!


Gibiteria: Praça Benedito Calixto, 158 - 1º andar
                  São Paulo   (011) 3167-4838
                

21 de junho de 2012

EM ESTADO DE OBSERVAÇÃO

Constantemente. Celebrando a memória e a beleza!

19 de junho de 2012

NO BATE-PAPO COM O ROCCO

            O fato de se ter um rostinho bonito propicia o inevitável interesse dos amigos artistas a criarem mais e mais retratos engraçados... caricaturas.
            Grande fera dos cartuns, dos quadrinhos, das ilustrações, o paulistano Luígi Rocco flagrou esse vosso amigo há uns anos atrás durante um bate-papo.


             Para melhor conhecerem o trabalho dessa fera é conferindo aqui .

14 de junho de 2012

SUAVE

            Desenho colorido na aquarela feito há muitos anos atrás, para uma série de cartões que fiz para uma empresa que então, se lançava neste seguimento de mercado. O Omar trabalhou junto comigo nesta série que teve vários tipos de finalizações.
            Com tempo no site do estúdio há amostras de outras ilustrações feitas para esses cartões.

12 de junho de 2012

NA SAUDADE DO ZÉ

            Caricatura feita na ocasião da partida pra outras esferas do querido e grande mestre Zé Rodrix em 2009. Fígura ímpar no cenário artístico e musical brasileiro. Dispensa muitos blá-blá-blás como ele mesmo sempre foi. Direto, simples e imenso.

31 de maio de 2012

BATE-PAPO EM JABOTICABAL

             E novamente vamos bater pé pra falar de quadrinhos, conhecer gente nova e rever alguns velhos amigos. Falo isso pois na próxima semana estarei na cidade de Jaboticabal, interior de São Paulo, participando da 1ªFeira do Livro, convidado pela organização, estarei no dia 7 de junho batendo um papo com os presentes, mais os artistas  da cidade e região, Reno (esse um querido amigo de longuíssima data e grande artista), Rodrigo Romão e G. Guimarães. A ação será no Centro Cultural Cora Coralina, à partir das 15:30h.
             Morei em Jaboticabal uns bons anos de minha vida, mais especificamente na década de 80, trabalhei lá, fiz muitos amigos, conheci a pessoa que hoje é minha esposa, enfim, boas histórias, bons momentos. 
            Além do bate-papo, levarei alguns trabalhos como os dois primeiros volumes de Yeshuah,"Histórias do Clube da Esquina" e "Auto da barca do inferno" para venda e autógrafos. 
           
            

29 de maio de 2012

EU, CALÍGULA, SEGUNDO O ZITTO

Mais uma versão desse vosso anfitrião do Banda Mamão, feita há alguns anos atrás. Eu estava sem a minha querida e cuidada (de vez em quando) barba. O autor dessa versão calígulesca minha é do caricaturista Zitto. Grande figura, grande profissional, talentoso e de coração grande, com que já tive oportunidade de trabalhar várias vezes em eventos.


Para conferir mais coisas do cara e entrar em contato com ele:
http://ciberzitto.blogspot.com.br/

17 de maio de 2012

UM MOLEQUE DALTÔNICO NO SUBÚRBIO DO FLOREAL


             O cartunista Floreal produz uma série deliciosa chamada "Subúrbio" que vem sendo publicada mensalmente no jornal de tirinhas Graphiq, onde conta casos de sua infância, adolescência, coisas simples, muito simples, como algumas boas leituras de gibis ou seriados assistidos na infância, músicas que marcaram algum período, enfim, coisas pessoais e em alguns casos não necessariamente ligados a ele, vez ou outra, o Floreal conta casos ligados a conhecidos, como recentemente fui agraciado com uma página de sua série onde conta como fui descoberto daltônico, isso há muitos anos atrás, lá nos idos anos 70, e já faz realmente muito tempo.
           Saboreiem a simplicidade e verdade do trabalho desse cartunista e sua série 
"Subúrbio".

Valeu, querido Floreal!!!! (embora eu seja um pouco mais bonitinho, vai!)


Para conhecer mais do Floreal http://http://florealandrade.blogspot.com.br/


15 de maio de 2012

COLORINDO O MORRO


         Trabalho que eu e o Omar, fizemos recentemente para a produtora Parábola
para um projeto das Tintas Coral em colorir o Morro Santa Marta no Rio de Janeiro. Resultado simples e muito bacana. 
video